Tudo que ainda não falei

Assisti ao filme "Tropa de Elite" esses dias. Talvez seja um dos melhores filmes que já vi na vida - não pela violência (que não é gratuita), não pelo humor negro (apesar de eu ser fã), nem mesmo pelo Wagner Moura (lindo como o Cap. Nascimento e atuando maravilhosamente bem, as usual). O filme é real demais, por isso é tão bom. E tão triste, eletrizante e chocante. Já vi duas vezes e vou ver pela terceira vez quando estrear nos cinemas.

------------------------------------------------

A palhaçada no Senado eu nem quero comentar aqui, porque acho que não teria espaço suficiente e porque os que me lêem ficariam chocados de verdade com a variedade (e a qualidade, digamos) de palavrões que coleciono em minha cabecinha. Mas uma coisa, ao menos, me permito dizer: continuem colocando essa pica nos nossos cus, senhores. Nós merecemos porque achamos que urna é vaso sanitário.

------------------------------------------------

Às vezes tenho a impressão de que sou a pessoa mais errada da face da Terra: a mais torta, a mais chata, a mais insuportável, a mais sem propósito em sua existência. Porque? Ora, porque tem gente que me faz sentir assim, gente com quem me importo. Além de tudo, acham que eu sou burra ou tapada, só pode.

Mas passa em cinco minutos. Sou muito melhor do que alguns pensam. Be sure.

------------------------------------------------

Essa vida offshore é realmente cansativa, apesar de algumas vantagens que possa ter. O pior é ter de engolir quando dizem "ah, você tem boa vida, fica 14 dias em casa sem fazer nada". Boa vida, né? Queria mandar essas pessoas, por três dias apenas, num embarque. Aposto que nunca mais me diriam um impropério* desses.

------------------------------------------------

Sabem do que sinto saudades nesses 14 dias, além das pessoas? De coisas bobas, como o cheiro das roupas lavadas por mamãe, do salaminho fresco que meu pai compra, de tomar banho descalça, de usar roupas 'de casa' depois que tomo meu banho, de ver tv deitada no sofá. Como diz um amigo meu, operador de rádio lá na plataforma, "o que a gente leva dessa vida são os pequenos prazeres, que vêm de pequenos momentos"...

------------------------------------------------

Papai comprou singelos 500gr de bananas-passa pra mim, uma das minhas paixões alimentícias. Estou economizando.

------------------------------------------------

Oi, alguém liga pro meu celular novo? Ainda não recebi uma ligaçãozinha sequer... estava há tanto tempo sem celular... *faz bico*

------------------------------------------------

Amanhã vou à praia, não estranhem se o tempo mudar subitamente. Talvez o sol se assuste com a brancura da minha pele.

------------------------------------------------

Té manhã, tá tarde e eu passei o dia inteiro zanzando na rua, por três cidades diferentes, com uma bolsa enorme que pesa exatos 12 Kg pendurada no meu ombro esquerdo. Tô cansada.

------------------------------------------------
* impropério:

do Lat. improperiu

s. m.,
ação infamante;
ultraje;
vitupério;
opróbrio;

(no pl. ) série de cânticos religiosos, que se entoam na Sexta-Feira Santa, durante a cerimónia da adoração da Cruz (grafado com inicial maiúscula).

Comentários

Fênix disse…
Boa dica sobre Tropa de Elite.
Sobre a %$#$@#@&%&% do Senado, também preferi não poluir o meu blog com tudo que queria dizer.
Sobre ser a pessoa errada: estou me sentindo assim agora. As pessoas têm o dom de magoar...
E eu não queria estar na sua pele de embarcada.
Não vai dar o número do celular? Eu ligo... rsrs
Beijão! Boa praia!
Renata R. disse…
14 dias embarcada, Aline? Suo frio só de pensar em ficar meio mês convivendo dia e noite com estranhos.
Aline disse…
Fênix, nós somos especiais, não esqueça =)

Ah eu dou o número sim!

Renata, deixam de ser estranhos logo. O maior problema nem é esse, é mesmo conviver com os malas e não poder ter (ou demonstrar) mau-humor, tristeza... é dose. E cansativo!

Beijos, girls.
Eli disse…
riiiiiiiiiiiiing.... riiiiiiiiiiiiinnng.... riiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinnggg!!!!

Eh... pede pra ligar, mas nao tem ninguem para atender o celuloide, neh? LOL

I'll try again later, darling. I miss your rough voice (hihihihihi)
Eli disse…
update: finally!!! hahahaha Are you sure your just off-shore? it sounded like you where waaaaaaaaay out in space! LOL

Love ya loads!
Renata disse…
eu tenho um primo que acabou o treinamento pra engenheiro da petrobrás e vai trabalhar em plataforma. ficam todos falando que não é nada ficar 14 dias longe de casa. eu não consigo entender do que eles estão falando. como assim, não é nada? vai vc então!
Aline disse…
Eli, BABY!!! AMEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEI você ter ligado! Vc sabe que eu nunca esqueço de vc tb, né? Eu te amo, amiga, e morro de saudades.

, no caso dele ainda é melhor, a folga é de 21 dias e não 14... não é mole, mas não mata. Ao menos ainda estou aqui =P

Beijos mil, girls.
1worklover disse…
Eu adoro salaminho, mas não posso comer. Já banana passa, hummmm

E tvz o q eu precisasse era uma mudança de parâmetros, como trabalho em viagem. Mas, quem sabe, no futuro?

Ah, gostei do dicionário. :)

Beijo
Aline disse…
Pode deixar que eu como o salaminho por vc tb, rsrs. E qualquer hora te mando DESSA banana passa que meu pai comprou - é deliciosa...

Você diz isso em relação ao trabalho? Bem, eu já estive do lado da rotina e agora estou nessa rotina meio doida... Mas ainda não sei. Vc sabe que eu ando pensando em voltar à rotina de 2a a 6a né?

Sabia que vc ia gostar do glossário, rs.

Beijo grande, baby, e te cuida aí.

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.