I've tried so... not to give in!

*Este texto foi escrito por mim e pela Taynar após uma conversa sobre homens, o ano que se findava e expectativas para este que acaba de começar. Nos divertimos um bocado enquanto escrevíamos - então, que vocês também se divirtam! Enjoy!*

Homens irresistíveis. Ô raça, hein?
Quem nunca deu de cara com um desses e ficou com cara de parede pensando: 'Caso ou compro um bicicleta?'.
E nem vale a pena dar resposta auto-ajuda sobre o que fazer. PeloamordeDeus, como tá escrito, não dá pra resistir. E de fato, alguém quer isso?
Que nos deixem malucas, que nos queimem a roupa, que façam nosso mundo girar.
Queremos sempre mais.
Às vezes até pensamos em desistir deles e fugir pro Himalaia, mas logo depois desistimos da idéia - eles nos enlouquecem mas marcam. Ô, se marcam! Assim, resolvemos colocar aqui os três homens irresistíveis de cada uma em 2008, pra que fique claro pra nós mesmas onde pecamos. Não que queriamos parar, mas ter consciência já tá bem bom.
E de preferência, que apareçam mais. Eles podem até ser meio loucos, como esses relatados, mas, com certeza, fizeram a sua parte, e o fizeram bem, ou não estariam aqui, certo?

O Novinho
Tinha 21 anos, mas não dava pra saber pelo papo - fui descobrir bem mais tarde, quando não tinha mais jeito. Mais maduro que a grande maioria dos homens que conheci (integrante da minha Turma de Baixinhos, como diria minha amiga) e com uma experiência... De vida, claro, hahahahaha. Enfim, o cara que sabe beijar, sabe respeitar, sabe elogiar sem ser piegas (não é à toa que sempre que ouço "A todo mundo eu dou psiu, psiu / Procurando por meu bem", eu me lembro dele dançando coladinho comigo e sorrindo) nem puxar o saco demais, sabe ser safado e te diz as maiores loucuras sem perder a classe, mesmo sendo simples e UM MENINO ainda! 1,90m, barba fechada e rentinha, branquinho de cabelos pretos, olhos lindos e uma boca desenhada que vou te dizer. Isso pra ficar só no rosto - o corpo dele é absolutamente escultural, deu até vergonha de mostrar o meu... Ao menos antes dele dizer "eu não sei como pode uma mulher linda como você estar solteira... Ah, se eu pudesse, casava contigo amanhã!". Depois disso, sinceramente, eu não tinha mais vergonha nem do que deveria ter.

O Príncipe
Como a música do Chico, ele veio sem muito explicar. Ele chegou, me pegou de surpresa, e quando eu vi, tava completamente envolvida por aquele perfume, aquele sorriso e aquele olhar que eu nunca sabia o que queria dizer.
Segurava a minha mão, era o perfeito cavalheiro, me levava nos melhores cantos, sempre me elogiava. Até de terno apareceu. É, eu tentei, mas não deu. Não resisti uma semana. Dois jantares depois, e eu já me pegava olhando o telefone esperando aquele nome tão envolvente piscar na tela. E cada vez que ele aparecia... Aquele beijo, aquele perfume. O que me pegava era o perfume. Era o cheiro dele, misturado com um Kenzo que eu nunca descobri qual é, cigarros (ele não fumava) e transpiração. Ah, e tinha o cabelo. Aquele liso, castanho, que passou dois dedos da hora do corte e fica caindo em cima do olho, dando aquele 'tique' charmoso pro dono. Alto, magro musculoso, voz rouca.
Viajado, trabalhador, lindo, cavalheiro. One of a kind. Olha que eu não encontrei espécies péssimas, mas esse cara parecia surgido do conto. Se um dia montasse num cavalo, acho que eu casava na hora. Mas como tudo que é bom dura pouco, e também a música, ele partiu, bem eu sei pra onde. Mas juro, eu também fiquei com o olhar cada vez mais longe.

O Enrolão
Esse me pôs doida da cabeça, porque era inteligentíssimo, engraçado, sabia muito de quase tudo referente à parte cultural, tinha um bom gosto musical danado e uns olhos que pareciam me enxergar por dentro. Sério, eu me sentia nua no sentido mais perigoso da palavra. Além de tudo, tinha aquela carinha de cachorro que caiu da mudança, o que me matava. Olhos lindos, boca desenhada e era fofo demais... Mas costuma pensar muito, sempre se sentia culpado e tinha um dark side mais escuro que o meu na TPM, além de ser escorregadio e sempre enrolar. De alguma forma, quanto o Blink 182 canta "We'll have Halloween on Christmas and, in the night, we'll wish this never ends" ele me vem à cabeça, talvez pelo inusitado da coisa, talvez porque seja engraçado e fora dos padrões, o que sempre me chamou a atenção. Carinhoso, ligeiramente cool e blasé, toda vez que me elogiava me deixava vermelha e ele adorava isso. Safado sem perder a classe (eu acho que é pré-requisito mesmo) e mordia quando beijava. E mordia sem beijar, de leve. Ai! E apertava, e olhava nos olhos. Talvez tenha sido o menor envolvimento físico, mas o que mais tenha marcado no ano de 2008 - ou até por conta disso mesmo. Bem, 2009 vem aí né, sempre há tempo - se ele resolver "desenrolar", ao menos!

O amigo
Ele sempre existiu, sempre. Buscando qualquer lembrança da infância do colégio, lá estava ele. Assim sendo, nunca foi visto como 'homem', era sempre o amiguinho do colégio, mais um dos meninos. Até o dia que não foi mais. Até que uma noite ele passou a ser o amigo muito simpático, numa camisa preta, que dançava muito bem. E depois beijava muito bem.
No começo, foi um negócio estranho. Todas aquelas histórias de infância. Mas depois... O beijo, o bom perfume, o bom papo. O cara sabia como desviar a minha atenção de como éramos no jardim de infância. Me ouvia contando histórias malucas, era engraçado e não se importava em pagar mico. Não muito alto, musculoso, nariz um pouco grande, um tipo até comum, mas que em suas coisas usuais, começou a fazer falta pelo seu senso de divertimento e inteligência.
E assim foi. Infelizmente, nossos caminhos foram diferentes, mas ele ainda está por aí, esperando a gente terminar essa história.

O Coxudo
Esse foi uma surpresa, que começou num jogo, continuou numa mesa de bar, foi ainda além numa noite com uma conversa longa e muito boa, regada a chopp e muitas histórias (até meio parecidas, entre nós dois) e terminou bem, muito bem. Ao menos naquele dia e naquela manhã, terminou - mas não na memória, ao menos cada vez que Tio Jagger canta "Goodbye, Ruby Tuesday / Who could hang a name on you? / When you change with every new day / Still I'm gonna miss you..." Grande, alto, charmoso até dizer chega e meio durão, o que dá uma coisa meio de "você é durão mas eu te quebro ao meio, menino". Bem, e as coxas, lindas e grossas! Tem uma risada solta que me faz lembrar das coisas mais simples e melhores da vida, mesmo quando falava sério ou perguntava se eu já tinha ido à merda hoje. Era meio na dele e, talvez por ter passado por coisas como eu passei, meio arredio. Mas nada que não seja remediável e que não possa ser contornado de quando em quando, que é mesmo o quanto a gente se esbarra. Um ótimo amigo, um ótimo amante - quer combinação melhor?

O convincente
Acho que as coisas pra mim, as mais marcantes, é claro, acontecem assim: um dia eu tô preto, no outro, do nada, sem nem me preparar, eu fico branca.
Literalmente, eu acordei e ele estava lá. E assim foi que aconteceu. Eu estava lá, consciente, ele me beijou e já foi mandando. Mandando não, foi me convencendo, e era bom nisso. Me convenceu a ficar e fazer o que eu não estava afim de fazer, até me convenceu de que isso tudo era uma boa idéia.
Alto, magro, barbudo. Inteligente, mais velho, mandão, reacionário, bom de beijo, não dava trela pra efemeridades e não me deu tempo de pensar. Na verdade, ele falava que eu pensava e falava demais. Quando eu vi, tava envolvida até os cabelos, sem nem ter tido tempo pra pensar se era isso que eu queria. Tinha um risinho que me deixava maluca (no mal sentido), e quando contava algo, me olhava nos olhos, o que também me deixava maluca (good way). Não deu pra resistir, e eu tentei.
E de uma hora pra outra, depois de um abraço e de um beijo, ele foi embora, deixando o perfume e o pensamento de que ser convincente é uma coisa muito boa.


Como podem ver, são tipos diferentes, completamente diferentes. Cada um com seus defeitos e qualidades, charmes e lembranças e que, de alguma forma, foram marcantes em 2008 pra nós. E que 2009 nos traga mais irresistíveis. Ou mesmo nos dê a chance de repetir a dose, se valer a pena! ;-)

Comentários

Lekkerding. disse…
Adorei. Muito divertido.
Como dito no MSN, o amigo é a raça mais maldita que tem. Damn you friends! Pifi.

Beijos
Danielle Balata disse…
Sei não, mas eu me apaixonava facil facil por esse novinho.

Beijos
Lais disse…
2008 foi um ano conturbado hein!
É, eu sou lerda, tipo, centopeia de muletas!!

hahaha


bjos
=*

PS: Total Lekkerding, amigo é praga!!!
Anna Bueno disse…
Tem certeza q o enrolão não é o "Meu quase"???rsrs
Caraca, o universo masculino é simples mesmo. Eles são todos iguais.
Bjos!
Taynar disse…
Ah! Os homens irresistíveis!
hahahahhahaha

E que 2009 nos traga boas surpresas!
;)
Fabio Fernandes disse…
Gostei bastante.

Dependendo do quê quiserem, escolham um desejo:

- Que em 2009 apareçam mais irresistíveis.

- Que em 2009 apareça um irresistível apenas.

Bjokas. ;)

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.