Waltz for a Night

Sempre adorei cinema, de verdade. Como pra todo o resto, andei meio preguiçosa e devagar ultimamente com os filmes - leia-se nos últimos anos - e estou tirando este atraso como quem estuda de última hora pra passar num vestibular. Não no sentido de ser feito nas coxas, mas quanto à pressa da coisa em si. Assim, ontem vi dois filmes "antigos" que ainda não tinha tido oportunidade de ver, mas um em especial me chamou muito a atenção: Antes do Por do Sol. Ok, podem me chamar de atrasada-mór, mas o fato é que talvez eu não tivesse apreciado tanto e entendido tão bem o filme se o tivesse assistido há um ou dois anos, muito menos na época em que foi lançado. Antes do Amanhecer foi lindo e eu o assisti há bastante tempo já, na época certa também, mas Antes do Por do Sol é divino, maravilhoso, completo e real. Muito real.

Li em algum site (nenhum famoso ou respeitado) uma crítica sobre o roteiro, com relação à descarga de sentimentos ser tardia e toda ao mesmo tempo, enquanto a maior parte do filme fica só no papinho "e a vida, como anda" e que isso teria desvalorizado um pouco o filme. Sou obrigada a dizer que discordo completamente: o roteiro é real e retrata perfeitamente o que aconteceria (ou acontece, melhor dizendo) numa situação deste tipo - ninguém na casa dos 30 anos vai discordar de mim, eu acho - que é a coisa da educação, de ser polido, por mais que se esteja com vontade de falar tudo que está entalado na garganta, bom e ruim, até que... Explode e a gente não controla mesmo muito bem. Jesse e Celine, na segunda parte, são o retrato fiel das pessoas na mesma faixa etária que eles (bem, no primeiro também eram): pessoas que ainda sentem com a mesma intensidade dos 20 e poucos, mas que estão educadas, contidas ou medrosas demais pra demonstrar da mesma forma e acabam sobrevivendo da maneira que acham menos dolorosa ou trabalhosa. Ao menos até que algo (ou alguém) aconteça e mude tudo isso.

É claro que a fotografia do filme é espetacular (Paris ajuda, obviamente) e todo ele, na minha modesta e ignorante opinião, é muito bem produzido. Mas o melhor do filme, pra mim, está nas personagens: o humor de Jesse disfarçando os momentos "saia justa", a agonia e o questionamento de Celine quanto ao amor (que ela tenta disfarçar sempre com frieza, até que não aguenta) e o cinismo nas entrelinhas de cada frase dita. É a vida de todos nós, é o que fazemos todo dia, são as coisas das quais gostaríamos de nos livrar e as que queremos tanto ter. Não vejo como uma pessoa na casa dos 30 possa não gostar e não se identificar (ao menos parcialmente) com o que nos contam os dois. Apesar de ter colocado como título, a cena da valsa nem é a minha preferida, mas sim a dos dois no Sena, passeando no barco de turistas - é simplesmente linda.

Num primeiro momento, logo após o final (mesmo que este seja diferente do que se espera, em vista do primeiro filme, e esperançoso, digamos assim), é meio triste se identificar com as personagens e as situações, os medos, as paixões, as decepções e as lamentações. Mas logo passa e a gente percebe que é difícil pra todo mundo, que não somos nenhum E.T. verde por sentirmos as mesmas coisas que ali estão retratadas e que só cabe a cada um de nós fazer o que seja preciso pra ficarmos mais satisfeitos com a vida. Mesmo que seja apenas escrever um livro ou perder um avião.

**Hoje é noite de Globo de Ouro, babies. Façam suas apostas e preparem a torcida - se depender de mim, Heath ganha tudo de coadjuvante esse ano!**

Comentários

Lekkerding. disse…
Nem verei!
hahahahahahahaha
Ká disse…
Assisti os dois e concordo contigo em tudo. O segundo filme é ótimo. Os diálogos são interessantíssimos.
Beijocas.
Fabio Fernandes disse…
Eu assisti "Antes do Amanhecer" um dia no intercine.. e nem esperava nada do filme. E sinceramente me surpreendeu por ter um diálogo tão rico, e tão intenso o tempo todo. É meio óbvio demais que terminasse como terminou.. pq a idéia principal, na minha opinião, era demonstrar a paixão dos dois, da dúvida de como seria se... e se.. que acaba no fim do filme.
Já o "Antes do pôr do sol" é mais focado nas dúvidas pertinentes do primeiro filme, ele acaba retratando a parte ruim dos "e se" que ficaram no ar, no primeiro filme.

Acho o segundo mais realista, mais cruel pq, afinal de contas, a vida é assim.. Todos temos medos, dúvidas, desejos, vontades.. uns nem sempre se realizam, outros se realizam até por demais.

Bjokas.
Elise disse…
Chéries, fui convidada pra divulgar a cobertura da GNT no SPFW, e se conseguir muitos acessos para o site deles, ganho uma pulseira pros desfiles.

Preciso da ajuda de vcs pra divulgar o SALADA, pedindo pra galera entrar lá, e acessar o link.

http://elise-saladamista.blogspot.com/

Se eu conseguir, serei agradecida a vocês por toda essa vida e pelas próximas, rsrsrs.

Beijas.
Ingrith disse…
Então eu preciso ver e morrer de chorar!!! E disso que eu precisava!
Bem, estes filmes são meus filmes preferidos. Considero Celine e Jessie meus amigos.
Tenho 34 e assisti o primeiro filme na mesma idade dos personagens. Identifiquei-me. Na época, fiquei sempre procurando situaçao inesperadas e romanticasque me remetessem a Jessie e Celine....
Mas, no segundo filme. Poxa, eu sou a Celine...rsrsrs... e como disse é triste, melancolico, mas um alivio nos encntramos em personagens com dramas que são meus, seus, da maioria das minhas amigas e da nossa geração!

Muito se discute sobre: ele perde o avião? No alto no meu cinismo acredito que ele perde e depois volte a rotina enfadonha... outros dias acho que perde e nos dias seguintes deixe tudo de lado para viver a histoira de amor...

Julie Delpy, já deixou claro a vontade fazer a continuação, se fala em os dois casados... o tempo todo dentro de um apartamento.

Mas, se quer algo que complemente o filme assista, " 2 dias em Paris"

Julie Delpy é totalmente envolvida pelo filme e tem um cd incrivel dela com musicas todas inspiradas no filme. Ouça e se apaixonará!



bem... adorei ver sobre o filme aqui...
separo as pessoas do mundo entre: as que amam os befores e os que sºao indiferente aos befores...rsrsr

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.