Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2009

Queimou?

Imagem
Depois de longo e tenebroso inverno (e posso dizê-lo de maneira literal, já que o Rio de Janeiro anda povoado de botas, escarpes e cachecóis por necessidade e não vaidade), eis-me aqui. E voltei pra contar pras crianças que lêem a titia aqui uma historinha muito engraçada que aconteceu ontem à noite.

Pra começar: ontem eu fui ao show doRitchie, no Bailinho. O show foi foda, o Bailinho é legal pra cacete (achei um lugar onde não há o pré-requisito de ser parecido/a com um dos Jonas Brothers ou com a Ashley Tisdale para entrar, apesar de ter encontrado alguns clones) e me diverti muito. Encontrei amiga Rosana lá, de surpresa, muita gente bonita, um clima bem legal. Explicado o local, vamos à estória:

Pra quem não sabe, eu sou fumante. Tá, eu já sei que faz mal, que fede, que eu vou morrer cedo, etc. etc. etc. Não é esse o foco. Mas estava eu com minha amiga-companhia pra noite de ontem (as duas velhas-corocas-mór-que-não-tem-mais-paciência) até felizes de estarmos num lugar onde ter conh…

Pára, porra!

Eu comecei a escrever um texto todo sério sobre crise dos 30, mudanças, maturidade, autoconfiança e percepção social de tudo isso. Tava um saco, então apaguei a porra toda e vou dizer, curta e grossamente, o motivo de tanto blablablá.

As novidades são: cortei meu cabelo curtinho e achei lindo; vou tatuar o dragão chinês que sempre quis nas minhas costas, agora que o cabelo ajuda na composição visual da coisa; comprei uma lingerie rosa bebê pela primeira vez na minha vida adulta.

A minha explicação é: não é crise dos 30 porra nenhuma, já que eu sempre quis cabelo curto, tou adiando a tatuagem há ANOS por conta de questões profissionais e nunca tive preconceito com rosa bebê, só nunca tinha achado uma lingerie dessa cor que eu gostasse. A mania que o povo tem de dizer que as pessoas que mudam muito na época dos 30, 30 e poucos é por causa de "crise", para "se achar novamente" me irrita. Me achar de cu é rola, já que eu sou grande e não consigo me fazer perder de vista …

O que você está fazendo?

O Twitter não é novidade pra mim. Como quase sempre acontece com as novidades da Internet, quem me convidou foi o InterNey, quem conheço de loooonga data (não vamos divulgar porque denuncia a idade, né não, Ney? rs) e eu aceitei logo. Passei um tempinho sem tuitar mas nunca larguei porque considero essa ferramenta um tipo de válvula de escape divertida - ou considerava, até certo tempo atrás.

Acontece que o Tuíter ficou popular e chique, tudoaomesmotempoagora (grandes Titãs) e virou um grande mix de Messenger com orkut... Nada contra os famosos que gostam (ou querem apenas estar in) ou contra meus amigos e conhecidos com quem converso por ali, de jeito nenhum; mas surtar e mandar o chefe tomarnokoo começou a ficar feio, tanto quanto dar reply a um famoso que você segue desde priscas eras e não ser mais respondida ficou comum. Ah, eu sinto saudades de quando o Tuíter era um lugar de geeks e geeks-to-be e todos falavam o que bem queriam, fosse o assunto sério, surtado, divertido ou simpl…