Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2006

Tô no Rio, mas vou usar um também.

Imagem
Vai e lê. Vale a pena. Use você também.

Mais um pouco

Tô puta mesmo. Ah, taquiupariu, vovó.

Enquanto isso, ele e ele são candidatos. Fala sério, minha gente.




(o pior é que vão ganhar)

Tá na moda...

Tudo bem que certas comunidades do Orkut são preconceituosas, até criminosas. Mas pra tudo tem limite nessa vida.

De acordo com matéria de hoje no Jornal Extra, o MP do Rio de Janeiro vai investigar comunidades do Orkut que incentivam a prática de crimes, tais como consumo de álcool associado à direção e trânsito em alta velocidade (mais aqui). Ok, dirigir bêbado é burrice, correr demais também. Mas porra, será que eu não tenho mais direito a entrar numa comunidade porque achei o nome engraçadíssimo? Pára tudo, é muita falta do que fazer.

O problema todo é gente querendo "mostrar serviço" naquilo que é moda. O Orkut virou moda entre as mais elevadas esferas da polícia e do Judiciário. É legal e "importante" investigar o Orkut. A internet em si, hoje, é foco de pesquisas e matéria para monografias e outros estudos, principalmente no que tange a parte legal da coisa. Tudo bem, é válido, é novo e tem que ser estudado mesmo. O que me revolta é que o motivo, na grande mai…

Vazio

Então. Pois é. Pra você ver...


Um vazio maior do que o buraco negro. Que eu nem sei se é vazio.


Taquiupariu, Vovó. Isso tudo porque ele tá lá e eu, aqui. Claro que tenho um ótimo motivo, mas fica pro próximo post.

Os famigerados e-mails

Imagem
Esse aqui vale a pena...

Antes de olhar a imagem, você, que já é mãe (ou pai), pensa em ser ou já está com uma criaturinha a caminho, pense em toda a beleza e a mágica da maternidade/paternidade... Reparem na beleza implícita em cada detalhe da imagem!

... e escolha, logo após olhar a imagem, uma dessas quatro palavras:

Rir, chorar, fugir ou matar.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.



Que coisa mais meiga. Eu escolhi FUGIR, porque não costumo matar.
Pra dizer a verdade, ando meio tratante comigo mesma, é essa a questão.

Estou resolvendo. Daí deixo de ser tratante com o resto do mundo, pode apostar.

Tratante

Curioso como a vida da gente roda, roda e algumas pessoas, que estavam há léguas de distância, reaparecem. Uma amiga de infância - uma das maiores - com quem não falava há séculos, me ligou. É mãe, casada, não trabalha mais pra cuidar da cria. Falamos por uns 20, 30 minutos, e fiquei de ligar pra ela quando estivesse na casa dos meus pais. Ainda não liguei, mas não é descaso, vou ligar.

Até porque ela sabe o quanto sou tratante. Um defeito quase irreparável (ainda não perdi as esperanças).