Domingos e canções

Eu sempre tive minha vida devidamente pautada pela música, cada uma representando um dado momento: um beijo, uma briga, uma festa, uma alegria, uma tristeza, uma amiga, um amor. Desde pequena sou assim e, devido à minha memória de elefante, sigo lembrando de tudo com a devida trilha sonora.

Isso é comum a muitas pessoas - ela já falou disso, se não me engano - mas o que me deixa puta da vida é que eu simplesmente posso ter traumas horrorosos ou orgasmos cósmicos com uma música, dependendo do que ela me lembre. Essa suscetibilidade me irrita profundamente, porque me faz deixar de ouvir músicas que eu amo em certas fases da minha vida - ou por medo de chorar na frente dos outros, ou por não querer passar o resto do dia de mau humor, até mesmo por não poder, em certos lugares, sorrir desenfreadamente lembrando de uma coisa boa. E a compulsividade de sair compilando todas as letras em um arquivo (ou em vários) pra ler de vez em quando? Claro que sei todas de cór, mas a palavra escrita tem a força que nos falta ao cantarolar, ela perpetua aquelas memórias e fere como uma faca revirada no estômago, ou adoça como chuva de verão num fim de tarde ensolarado.

Vocês acham exagero? Tudo bem, "causo" real, então: estava eu dando aula, há um tempinho atrás, e um aluno me pediu pra que ensinasse uma letra que ele gostava muito (aulas semanais com letras de músicas, sou adepta). Ok, let's go, dear. Só um problema: quando abri o arquivo e toquei a bendita música, comecei a chorar. Copiosamente. Por sorte, eu estava atrás de um monitor e ele, do lado oposto. Mais sorte ainda que eu tenha conseguido me controlar a tempo e dar a aula toda sem desmontar na frente dele. Quem conhece a Lilica, a Alinona, a Line, pode achar perfeitamente normal, mas quem conhece a Teacher Aline pode ficar chocado com essa informação. Sou profissional pra caralho no que eu faço.

É ou não é pra ficar puta? Então. Eu ia falar do meu domingo, mas isso a gente deixa pra depois.

Comentários

Fênix disse…
Acontece o mesmo omigo... não é à toa que tenho ouvido uma música infinitas vezes ao dia: Deixo, de Ivete. Estou tentando deixar... mas ta dificil. rsrsrs Bjs.

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.