Elas todas

Ah, meu bem, você ainda não sabe quem sou.

Eu sou pior do que qualquer praga, melhor do que qualquer sonho, mais louca do que Sade em seus áureos dias, mais mansa do que uma menininha assustada. Sou todas e sou apenas uma, sou milhares, sou milhões dentro desse corpo; um corpo que nada pede, só quer saber quem o habita ao certo. Sou a mais vil das criaturas nos momentos mais ingênuos, a mais naïve das mulheres nos momentos mais canalhas.

Quero ser como as mulheres que andam por aí, sorrindo pela noite, jogando seus drinks e bebendo seu charme, quero ser aquela que passa e ninguém vê. Quero poder sair sem precisar voltar, quero ter pra quem voltar a ponto de não querer sair. Quero todo o mundo pra mim, mas secretamente desejo alguém que nem sequer conheço...

Você não sabe quem sou, ninguém sabe quem é. Vamos viver tentando descobrir, vamos morrer sem saber. Vem pra cá e me ajuda a me achar, me faz esquecer que sou alguém e me faz lembrar de tudo que podemos ser, nós dois. Vem, não vai machucar.

Comentários

Fênix disse…
Como canta Cássia Eller:
"sou fera, sou bicho, sou anjo, sou mulher, sou minha mãe, minha filha, minha irmã, minha menina, mas sou minha, só minha e não de quem quiser."

E por mais que não saibamos quem realmente somos "Vamos viver tentando descobrir, vamos morrer sem saber."
Muito legal!
Beijos e boa semana para vc tb!
Ro disse…
Inspirada, hem?
Aline disse…
Fênix, brigada querida! Bom que tenha gostado.

, precisamos de um chopp... eu estava inspiradérrima. Pelo menos dessa vez não detesteio que escrevi nos dias que seguiram!

Beijocas, meninas.

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.