Sobre macacos, humanos e outras coisas

Nunca tive nenhuma pretensão maior com relação ao meu blog, em termos profissionais ou mesmo em termos pessoais mais sérios. Minha única intenção sempre foi a de ter esse espaço a fim de expressar as minhas opiniões, comentar o que estivesse a fim, falar besteira mesmo.


Mas há quem não seja assim - muitos blogueiros passaram a ser conhecidos de um público (muito) maior devido à grande qualidade de seus posts, à veracidade impressa a cada notícia e à seriedade de suas opiniões e posições defendidas em seus sites - e que leve seu blog muito a sério, o que eu sinceramente admiro. Bem, esses (ao menos de forma mais contundente) foram recentemente atacados por uma infeliz campanha publicitária do Estadão, como todos já sabem, o que vêm dando muito pano pra mangas e resultou neste debate, no dia 29 último. O Interney, como um dos integrantes da mesa, publicou sua opinião, e saindo um pouco da proposta nonsense que esta Casa tem, resolvi comentar por aqui.

A opinião quanto à campanha em si deixemos de lado - é ridícula e isso é common sense. Quanto ao acontecimento em si - um debate gerado de tal polêmica - acho que só sua existência já demonstra a força que a blogosfera hoje tem, além da qualidade dos que a compõem, e sinceramente vejo como ponto para esta, mesmo com a insatisfação de alguns com o desenrolar do debate em si.

Não há como negar que os blogs talvez sejam os únicos lugares onde o povo (ao menos a parte dele que tem acesso a tais recursos e educação suficiente para usá-los) ainda pode e emite sua opinião de forma livre, sem uma linha editorial a ser seguida, sem causar um problema político maior que talvez tire seu blog do ar em definitivo, ao contrário dos veículos tradicionais de imprensa, que um dia já foram a tão aclamada "vox populi". Também não podemos esquecer do lixo todo que vem na enxurrada, obviamente, mas como tudo que está ainda engatinhando, esse universo vai crescer, aprender, se desenvolver, errar e acertar até encontrar sua própria indentidade, sua personalidade. Um diamante bruto só passa a ter seu real valor depois de lapidado, mas ninguém joga aquela pedrinha feia fora...

Quanto ao debate em si, fiquem com o texto do Interney, acho que vale muito mais. Assistam o vídeo, opinem e, mesmo não tendo pretensões maiores (como eu), se envolvam - poucas vezes na vida fazemos parte de alguma coisa com um significado maior do que nossos umbigos e talvez essa seja uma dessas raras ocasiões onde os acontecimentos nos dizem respeito, direta ou indiretamente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.