Notícias e as opiniões sobre elas

Pelo teor do que escrevo aqui (quase tudo muito pessoal) não sei se dá pra imaginar, mas eu sou uma devoradora de jornais. Prefiro os tradicionais, impressos, aos online, acho que é um pouco de saudosismo, sei lá. Todo dia leio o jornal quase inteiro, ou ao menos todas as manchetes (e me aprofundo nos assuntos que mais me chamem a atenção).

Hoje li duas notícias - na verdade, uma notícia completa e uma notinha - que me fizeram ter vontade de comentar aqui, ambas com relação ao Rio de Janeiro. Então, lá vamos nós:

Cabral mandará à ALERJ proposta de proibir bebidas nas estradas do Rio (sic)

Não vem me dizer que é eficaz porque não é, é mesmo uma proibição "pra inglês ver". O que falta é educação mesmo - e não me refiro, aqui, àquela dada nas escolas, não somente. Falta educação EM CASA mesmo, já que hoje os pais preferem, em sua grande maioria, dar dinheiro aos filhos do que atenção, educação e amor. Claro, isso tudo dá muito mais trabalho e gasta muito mais tempo, não é? Sempre saí, sempre viajei de carro e, quando era a motorista, deixava a bebida de lado, porque MEUS PAIS me educaram assim, me mostraram isso. Eu acho qualquer proibição desse tipo um tiro no pé - pros jovens, 'tudo que é proibido é mais gostoso' - e totalmente propagandista.

A nota diz que 'O Governador Sérgio Cabral disse ontem ser sem propósito a matéria do jornal americano "The New York Times" que cita o filme "Tropa de Elite" e critica a violência e a tortura praticada (sic) por integrantes do BOPE. Cabral disse que os jornais poderiam também questionar, por exemplo, a ação americana no Iraque.'

Assim, amei. Tipo "metam seus bedelhos em seus próprios problemas". Há tempos que o NYT vem me irritando muito - uso alguns dos artigos como material de aulas de reading - com suas opiniões nada imparciais quanto a tudo que acontece por aqui, sempre dando um jeito de esculachar o país ou o povo. Tudo bem, estamos cheios de problemas, dos mais variados tipos, mas minha avó sempre me contou a estória do macaco - sabem, aquela em que ele nunca olha pro próprio rabo? Então. Olhem pros seus rabos, infelizes.

Comentários

Fênix disse…
hahahahahaha!
eles são os próprios macacos!
Ingrith disse…
Adorei a segunda noticia! Esse é macho!
Elise disse…
É mole??!! Vir criticar a NOSSA tortura! Tem graça, humpf...

E de mais a mais, nego se embanana ao misturar filme com ficcção: hello, é cinema, não documentário, mula. Se a gente fosse falar de violência no cinema americano...

Isso mesmo, dá-lhe Cabral (nem gosto dele, viu?), manda se importar com o Iraque. Nosso país é país de bandido, mas pelo menos não é país de loucos-existencialistas. Vê se toda hora um adolescente maluco fica atirando em escola, universidade e coisa e tal que nem lá.

Lé com lé, cré com cré. Cada um com seus problemas.
André Rafael disse…
Amo muito tudo isso.
[ r ê ] disse…
e não é mesmo?

onde é que eu assino?
Aline T. H. disse…
Fênix, são mesmo.

Ingrith, não sou fã dele não, mas até q gostei tb...

Elise, muito bem dito... e tb não gosto dele, como disse à Ingrith.

André e Rê, ;-)

Beijocas!
RIC@RDO disse…
Ola! Concordo contigo sobre as duas noticias. Essa do NYT é brabo né... A grande maioria das noticias hoje em dia são assim, nem um pouco parciais. É cada meio defendendo os seus interesses.
Obrigado pela visita e pelo link.
Bjo
Aline T. H. disse…
Por nada, ric@ardo.

Esse jogo de interesses é que me cansa, sempre.

Beijoca.

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.