Prova de fogo

Tem horas que me dá um total desespero em algumas aulas. Não é o mesmo caso da Andrea, mas juro que me dá vontade de chorar algumas vezes, com alguns alunos, já que não dá pra eu gritar "pelo amor da santa, depois de 4.962 exemplos, você ainda não entendeu como COPIAR?". Parece má vontade.

O pior é que não é. Isso é que me dá mais vontade de chorar ainda, porque não é uma coisa que dependa da boa vontade da pessoa em si, mas demonstra, sim, uma total incapacidade de compreensão. Você vê que aquele aluno não vai pra frente, não porque ele seja absolutamente incapaz, mas porque ele acha que você simplesmente vai colocar o inglês dentro da cabeça dele como que num passe de mágica, e nem é por maldade que ele pensa assim - ele simplesmente acha que é assim que funciona, que você aprendeu assim, sabe? - mas essa falta de pró-atividade vai fazer dele um aluno que não evolui.

Eu sei disso, qualquer professor sabe disso quando vê um aluno assim, mas o que mais dói é não poder falar nada, no meu caso, já que estamos num local de trabalho e, mal ou bem, somos colegas fora da sala de aula. Ele nunca vai lembrar que é a professora quem está dizendo aquilo, mas sim "aquela vaca metida que acha que eu não tô me dedicando o suficiente", porque a mais dócil das criaturas pode se transformar no maior monstro quando sofre uma crítica, seja qual for...

Isso tudo é pra dizer que ando com vontade de chorar nessas horas, mas cada vez que uma coisa dessas acontece e põe minha paixão à prova, saio mais forte. E mais certa de que posso fazer o que for na vida, mas sempre vou tirar um tempo pra ensinar, mesmo que seja por prazer apenas.

Comentários

Nine disse…
Oiie..
sempre respeitei muito a tua profição... dei aula de informática durante 3 anos em uma ong... acredite eu sei o q vc semte... mas vc é APAIXONDA pela tua profissão e isso é q IMPORTA!!!

Boa sorte,
Beijus =*
Marcelo disse…
Prof. de inglês? Poor you! rsrsrs

O negócio é não deixar eles te ver sangrar, porque a sala de aula é uma selva, onde só os mais fortes sobrevivem. Se o fulano não entende, coloque uma peruca loira e siga em frente

Ou algo assim. Há posturas diferentes. Eu sou "mais forte" dando risada mais alto que meus alunos e avaliando-os (leia-se: ralando-os moderadamente) pelos seus esforços e progressos (sejam eles quais forem)
Drica disse…
bah, tbm sou professora e t entendo...é dificil mesmo, dá vontade d chorar, etc.... e o pior é se sentir, as vezes, impotente por perceber q alem disto q vc descreveu alguns alunos tem dificuldades cognitivas q ultrapassam o campo pedagogico e dizem respeito a area clínica....e então? o prof fica d maos atadas já q o educando ou a familia dele, mtas vezes, não busca ou não aceita buscar um atendimento especializado....ah....é dificil! um bjao pra vc! :D
Helen disse…
falta o básico, né?
é difícil e triste.
não desiste, não. por favor.

beijo!
Andrea disse…
É a nossa vidinha, né? Ao menos não podemos reclamar da rotina. Bjs

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.