Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2009

Delete

A palavra nem é original da língua, mas graças aos computadores virou corriqueira no vocabulário de todos nós. Não tá legal? Deleta. Não gostou da roupa? Deleta do armário! Aquela frase que te disseram não soou bem? Deleta da memória que fica tudo em paz de novo. Não é assim que funciona hoje em dia? Eu vejo cada vez mais disso por aí, em todos os lugares, ambientes e níveis sociais. E realmente deletar é o novo preto, porque isenta a gente de consequências, não? Deletando, não tem depois, não tem pergunta, não tem pensar. Se você der um Shift+Del, então, nem vestígio sobra, não é mesmo? Nem vai pra lixeira nenhuma, nem num canto escuro fica.

De-le-tar. Antigamente diríamos excluir e, desta forma, seria pesado demais pensar em excluir um pensamento, um momento ou uma pessoa. Mas deletar é mais fácil, é cool, é in, alguns dizem ser até necessário, vejam só. Deletar resolve o problema na hora. Eu sou a favor do delete amplo e irrestrito, de mandar tudo e todos que não me servem pra longe…
Eu antes não trabalhava e ainda tinha um troco qualquer pra mim, mesmo pagando contas. Agora, eu trabalho e falta dinheiro.

Vou virar hippie. Ou ermitã.

Waltz for a Night

Sempre adorei cinema, de verdade. Como pra todo o resto, andei meio preguiçosa e devagar ultimamente com os filmes - leia-se nos últimos anos - e estou tirando este atraso como quem estuda de última hora pra passar num vestibular. Não no sentido de ser feito nas coxas, mas quanto à pressa da coisa em si. Assim, ontem vi dois filmes "antigos" que ainda não tinha tido oportunidade de ver, mas um em especial me chamou muito a atenção: Antes do Por do Sol. Ok, podem me chamar de atrasada-mór, mas o fato é que talvez eu não tivesse apreciado tanto e entendido tão bem o filme se o tivesse assistido há um ou dois anos, muito menos na época em que foi lançado. Antes do Amanhecer foi lindo e eu o assisti há bastante tempo já, na época certa também, mas Antes do Por do Sol é divino, maravilhoso, completo e real. Muito real.

Li em algum site (nenhum famoso ou respeitado) uma crítica sobre o roteiro, com relação à descarga de sentimentos ser tardia e toda ao mesmo tempo, enquanto a maior…

O que uma sexta à noite não pode fazer com as pessoas velhas ou falidas...

Very supersticious... diz:
rélou
Line diz:
rélooouuu
Line diz:
quem fala?
Very supersticious... diz:
Ed
Line diz:
Ed?
Very supersticious... diz:
Ed foder
Very supersticious... diz:
Line diz:
HAUHAUHAUHAUHAUAHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHUA
Line diz:
eu sempre digo q é a Kit
Very supersticious... diz:
Kit who?
Line diz:
a Kit Pariu
Very supersticious... diz:
nem, a Kimmy tá na sala
Line diz:
HAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Como diria Renato Russo: sempre mais do mesmo... (ou porque beber tequila faz bem pra gente)

Uma vez, quando morava em Sampa ainda, estive num local com stand-up comedy shows que eram realmente bons. Ótimos, eu diria. Ri a noite toda e saí de lá ligeiramente torta por conta dos drinks com nomes de filmes ou personagens (disso não me lembro bem, mas não importa) e com o último sketch na cabeça, que nunca mais esqueci: era sobre um homem que, na hora em que precisa explodir, implode. Descrevia mil situações nas quais qualquer um explodiria e diria meia dúzia de palavrões bem cabeludos e ele... implodia. Claro que, como em qualquer comédia, era hilário. Hoje eu acho que riria, mas nem tanto.

Eu lembro nitidamente de ter saído do lugar rindo muito e me perguntando em voz alta como é que alguém viveria daquela maneira, engolindo tudo e sofrendo, quando a solução pro problema era tão simples, JUST LET IT OUT! Aos 23, 24 anos, não passava pela minha cabeça que as pessoas pudessem engolir tantos sapos sem nem ao menos regurgitarem unzinho que fosse. Ok, eu me lembro disto e de querer …

Sobre todos nós

Apesar de amar a Cindy (Lauper), não digo que as garotas queiram apenas se divertir, não. Tampouco concordo com Fergie, quando ela canta que garotas grandes não choram. Garotas são complicadinhas - ou melhor, como cantou Rodolfo, complicadas e perfeitinhas - e muito chatas, de vez em quando. Ou em sempre, vai saber... Eu acho que entendo melhor de garotos do que de garotas por alguns motivos simples: fui criada com garotos, na maior parte; só namorei garotos e minhas autoanálises (dá-lhe, Nova Gramática!) são feitas sob uma autocrítica (once again) muito cruel. Assim, os garotos eu até me atrevo a cantar.

O Leoni canta sempre que "Garotos não resistem aos seus mistérios; garotos nunca dizem não" e eu até concordo, porque garotos são mais... Fáceis. Ah, eu precisava deste adjetivo aqui, que me perdoem os moçoilos. Nem quero dizer num sentido pejorativo, mas os garotos são, sim, mais fáceis. Ou mais difíceis, de fato, de se atingir um nível mais profundo. "Os garotos da es…

I've tried so... not to give in!

*Este texto foi escrito por mim e pela Taynar após uma conversa sobre homens, o ano que se findava e expectativas para este que acaba de começar. Nos divertimos um bocado enquanto escrevíamos - então, que vocês também se divirtam! Enjoy!*

Homens irresistíveis. Ô raça, hein?
Quem nunca deu de cara com um desses e ficou com cara de parede pensando: 'Caso ou compro um bicicleta?'.
E nem vale a pena dar resposta auto-ajuda sobre o que fazer. PeloamordeDeus, como tá escrito, não dá pra resistir. E de fato, alguém quer isso?
Que nos deixem malucas, que nos queimem a roupa, que façam nosso mundo girar.
Queremos sempre mais.
Às vezes até pensamos em desistir deles e fugir pro Himalaia, mas logo depois desistimos da idéia - eles nos enlouquecem mas marcam. Ô, se marcam! Assim, resolvemos colocar aqui os três homens irresistíveis de cada uma em 2008, pra que fique claro pra nós mesmas onde pecamos. Não que queriamos parar, mas ter consciência já tá bem bom.
E de preferência, que apareçam mais.…

In my life, why do I give valuable time to people who don't care if I live or die?

That's a question Morrissey has been asking for a long, long time. And why the hell I still don't know the fucking answer?É uma boa pergunta pro segundo dia do ano!

E você, consegue mudar?

Todo mundo faz resolução pro Ano Novo, mesmo os que negam até a morte. Vai me dizer que você não decidiu nada, nadinha, pra quando 2009 chegasse? Claro que você pensou que em 2009 vai perder a barriguinha ou até que vai ver mais aquela sua tia que tá velhinha e cuja visita você sempre adia. Todo mundo decide alguma coisa mesmo que boba, mesmo que nem tão importante. O ser humano quer mudar sempre (mesmo quando diz não querer) e se você faz parte da raça, parabéns: você tem alguma resolução de Ano Novo, baby.

Eu tenho algumas. Várias. Muitas, vai, preciso ser sincera ao menos uma vez num post. A grande maioria delas envolve o primeiro pronome do singular, várias têm o terceiro pronome do plural; muitas envolvem coisas sérias, mas as coisas nem-tão-sérias-assim (que, normalmente, são as que dão mais prazer) também estão bem representadas. No meio das resoluções, encontram-se as palavras saúde, diversão, bem-estar, amigos, trabalho, faculdade e mudança, dentre outras. A paciência está lá …