Um dia como outro qualquer

Eu hoje acordei com uma idéia fixa na cabeça de vir aqui e escrever um "recado" bem direto pra alguém que eu nem sei se leria. O dia foi passando, outras coisas mais sérias apareceram e a mágoa que eu sentia até meio que se abrandou. Mas não por conta de achar que eu estava nervosa ou coisa assim - simplesmente porque eu vi, graças às tais coisas mais sérias que citei acima, que a gente dá valor pra coisas e pessoas muito pequenas, às vezes. Literal e figurativamente. De qualquer maneira, desengasgo aqui e agora o que eu queria dizer. Talvez de maneira mais fria que faria pela manhã, mas nem por isso mais branda. It's just the other way around.

Amizade é dividir quando se está feliz e poupar a outra quando se está triste. É rir junto, é falar besteira, zoar até dizer chega, mas saber a hora de se ficar quieta. É poder peidar e arrotar na frente uma da outra mas perguntar se pode, em caso de coisas menos nojentas e mais delicadas - e é exatamente assim, arrotar ou peidar deve ser livre mesmo com quem se confia. Aliás (e acima dessa porra toda), amizade e confiança não existem uma sem a outra. Porque eu não ponho dentro da minha casa alguém em quem não confie, não depois de adulta. Há graus de amizade, de confiança? Claro que sim, e o importante é exatamente não decepcionar esse grau, mesmo que ele seja o menor possível, porque a decepção é a mesma se eu dou meu carro na sua mão pra você dirigir e você faz merda ou se eu te pedi segredo num presente pra uma amiga em comum e você contou. Muda a importância da coisa em si, mas você me decepcionou do mesmo jeito, na forma em que eu não esperava de você.

Eu já saí do colégio faz tempo, baby. Não tenho saco pra segredinhos infantis, namorinhos escondidos, fofoquinhas sobre a roupa da coleguinha, nada disso. Acho que antes mesmo de sair do colégio eu já tinha pouco saco pra isso, mas você sabe disso porque me conhece. E, apesar de me conhecer e passar por amiga, não o é, pelas razões acima expostas. Entenda como bem quiser, eu realmente não dou a mínima - sempre avisei que eu tenho muita paciência mas não tenho "reserva" nesse tanque e a minha acabou, ao menos com você. Não quero seu mal, muito pelo contrário: quero seu bem como quero o bem de qualquer pessoa que eu não conheça, mesmo um bandido qualquer. Seja feliz com quem quer que seja ao seu lado. Menos perto de mim, porque eu quero distância de gente em quem não confie. Beijos.

***Pra boa entendedora, me pal bas. E você é inteligente, só se julga mais malandra do que é***

Comentários

A Outra disse…
Ai eu pergunto para a dita cuja:
- Tomou ou não tomou!
Se não tomou, vai tomar!
Hahahaha
Beijos, querida!
Moça do Fio disse…
Hm. Que tapa no rosto, esta tua postagem.
Lamento que isso aconteça. Afinal, penso que amigos são para se ter para sempre.


Beijo e bom dia. Fique bem.
Lekkerding. disse…
Vamos viver a nossa vida, babe. Vamos nós viver felizes - a inveja está nos outros, e vamos deixar ela lá com eles. Vamos nós pra felicidade.
Celi disse…
Eu não sei o que ela fez, mas de uma coisa vc pode ter certeza: Ela vai colher o que plantou, porque essa lei é uma lei universal... Tudo que vai volta. É só esperar pra ver. Beijo!
Mr. T disse…
Celi está certissima. What goes around comes around, já dizia minha Celine...

Vc pode ter certeza que não vai ser a primeira nem a ultima vez que vc foi traida por uma amiga... Eu já fui várias vezes, e sei o quanto fere, o quando enlouquece a gente tentar entender o que se passa na cabeça dessa pessoa que a gente gosta tanto, mas que aparentemente não se importa nem um pouco com a gente...

Sinto muito que tenha passado por isso, mas bola pra frente, que o dela ta vindo, cedo ou tarde...
D.MARCO disse…
Essa tua ira me acelera! Até parece que estou vendo teus olhinhos apertadinhos, tua testa franzida, a cor do teu rosto avermelhando...
Ahhh, Lind'Aline, a fúria te faz bem.
Allan Machado disse…
Tristeza e ódio dá rugas. Minha mãe que fala. Escute as mães...hihihihihi
bjo
Gi disse…
Meu Deus, parece q esse post foi escrito por mim, estava por aqui divagando e remoendo meu odio mortal, qdo leio exatamente o q eu tava querendo falar!!

hahaha

Que lindo isso!!

Tks a lot
Aline T.H. disse…
A Outra: Vai tomar. Ou não. Não perco tempo com nada, sabe como é... rs
Moça do Fio: Também lamento, baby, mas é só o que eu posso fazer agora.
Lekkerding: e você acha que eu não vivo a minha, amor? Tou vivendo day by day, maravilhosamente. U know ;-)
Celi: disso tenho certeza, e exatamente por isso não quero mal dela nem de ninguém.
Mr. T: thanks pela força. E eu sei. Foi só um recado bem dado, porque eu não sei engolir nada que me faça mal, sabe como é?
D. Marco: baby, eu não fico irada por mais de uma noite. Bem se vê que vc não me conhece tão bem assim...
Allan Machado: honey, e quem aqui está triste ou tem ódio? Você?! Fica assim não... Esse post só tem outras duas coisas: ponto final e desabafo. Nothing else.
Gi: não nutra ódio porque enruga, como disse o Allan! Nutra amor e BOAS amizades. Live and let die, como diria Paul!

Beijos a todos vocês!
ave....

fiquei achando que o recado era para mim!

Sabe aquele calor que sobe?
rsrsrsrsr

Mas, nõa te conheço... então....
rsrsrsr

É isto, boa iniciativa.
Anna Bueno disse…
Eitaaaaaaaaa...
A cidadã deve ter aprontado, hein? rsrs
Bjos!!!
Frances disse…
o objectivo nem consiste em fazer com que a pessoa que nos agrediu emocionalmente saiba que e desvalorizada. Mas sim o desabafo de deixar sair do seu corpo toda o cheiro da humilhacao que a mesma te fez passar.
Agora, dizer que futuramt isso pode acontecer, alertar te p ter mais cuidado acaba por ser tarefa ingloria. Trata de viveres a tua vida exactamente da maneira que viveste ate hoje, ate agora. Porque no teu caminho conheceras pessoas excepcionais que merecem conhecer outras pessoas excepcionais como tu.
Nice blog. Descobri o ontem e estou a gostar, sobretudo, da simplicidade.
Mandou bem....já perdi confiança em amigos tb!

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.