Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2005

Vira-vira

Demorei a virar mulher, hoje sei. Não sei se isso foi ruim ou foi bom - as meninas, apesar de iludidas, são mais felizes em seu mundo encantado, com príncipes, castelos e carruagens - mas sei que hoje não sou mais uma menina.

Falando em idade, isso seria correto há tempos já. Mas quem disse que ser mulher, virar uma mulher, tem alguma coisa a ver com a idade? Tanta fêmea com 50 anos e ainda é menina, enquanto várias, aos 16, são mais mulheres do que eu... a mulher é aquela que sofre e é feliz assim, é a que está triste mas ninguém vê, aquela que sabe que o príncipe não é nada encantado e ainda assim morre de amores por ele, que sabe que o Castelo pode ser lindo, mas se ela não cuidar, vai ficar sujo e bagunçado; a mulher sabe que fez besteira e assume, por mais que isso possa doer, ela sabe que tem que acordar naquela hora e ninguém vai ficar paparicando ela pra isso.

Pelo menos essa mulher aqui sente assim.

A verdade

A verdade é que a falta de domínio, a falta de controle das coisas me incomoda. Não ser capaz de controlar, de monitorar, essas me tiram do sério.

Hoje tou mais azeda do que maracujá verde.

As mulheres de hoje são as mesmas de ontem e de transantontem

A gente trabalha fora, às vezes ganha mais do que o marido/namorado/ficante, sabe tudo sobre política, economia, história e até mesmo futebol...

...mas continua morrendo de saudade deles e querendo que cheguem logo, pra encontrar a casa arrumadinha, a comida feita e a gente cheirosa, gostosa e pelada em cima da cama.

E tenho a leve impressão de que, um dia, minhas netas vão chegar a esta mesma conclusão.

(post inspirado em conversa com a Cau, mais cedo.)

A vida como ela está

Trabalho, saudade, felicidade. É por aí.

Vou ver pai e mãe, irmão e cunhada, vô e vó. A saudade deles, ao menos, vou matar um pouco. Tem mais saudade pra matar, mas essa tem data certa - faltam só seis dias.

Afora o básico, é a vida de todo mundo: mensalão, CPI, seleção cambaleante e a sensação de que o fundo do buraco se aproxima, nacionalmente falando.

Voltei a trabalhar...

Se preparem, to voltando com tudo.