Auto-ajuda de meia-tigela

Nunca fui muito crédula quanto a mantras, repetições que te façam mudar de alguma forma, enfim, não era. Hoje acredito piamente que podemos nos convencer de qualquer coisa usando dessa, hmm, técnica: repete-se o que se quer aprender ou acreditar várias vezes pra si mesmo/a, até que essa informação passa a ser verdadeira dentro de você. É assim com a religião, com a auto-ajuda, com a psicologia, com a política, com a mentira... porque não?

Meu mantra tem a ver com falar menos - tenho repetido inúmeras vezes, em voz alta, pra mim mesma: "você fala demais, cala a boca um pouco". Tem surtido bastante efeito, acho que consigo passar uma hora caladinha numa boa (meu irmão com certeza vai duvidar disso, ele diz que queria ser uma mosca pra me ver quando estou sozinha, porque tem certeza que eu falo comigo mesma o tempo todo), seja sozinha ou acompanhada. A única coisa que não consigo me furtar a fazer é cantarolar músicas, isso não - acho que nem quero, por motivos óbvios e já citados - mas, de qualquer forma, a não-autoria das palavras já é álibi o suficiente.

Quando a fase do primeiro mantra terminar, vou começar com o "você está sempre atrasada, então adiante-se". Quem sabe começo a conseguir acordar sozinha.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conto adolescente

Feios e Belos

Revoltada, sim. E com razão.